Tempinho bom…

Imagem

Acordar tarde. É assim que funciona quando estamos na casa de nossa mãe/ou pai/ou os dois.
Os dias soam musicais e lentos. Tudo é lindo.
Pena que depois de algum tempo, aquela história de “filhinha pra cá e filhinha pra lá” some, dando lugar à broncas e às vezes até grunhidos de uma mãe/ou pai/ou os dois cansados, seja lá por qual motivo.
Mas a gente ainda escuta o “filhinha” de vez em vez.
Quando você sai da casa de sua mãe/ou pai/ou os dois, para se aventurar por aí; seja morando só ou com um namorado, ou amigas, ou pensão da tia, ou artista de circo, é inevitável não pensar em “nunca mais voltar” pra casa da mãe/do pai/ou dos dois.
Mas acontece que um dia você volta.
No meu caso, resolvi sair da casa do namorado pra respirar um pouco outros ares.
Nomeei essa “respirada” de  “dar um tempinho”.
Vim pra cá sem briga mas também sem o namorado a tira colo. Só vim.
Nem posso dizer que não sinto falta, nem posso afirmar que a falta é imensa.
Mas digo de supetão (e talvez precipitadamente) que você se acostuma.
Tô até gostando de ficar longe. Pelo menos um pouco.
E o motivo desse “gostar” é o seguinte: casa de mãe/ou pai/ou os dois tem uma magia que não sabemos explicar.
Você se sente a vontade, chora, ri, usa o que quer do quarto da mãe ou futuca a coleção do pai, ou os dois, grita, vê tv o dia todo e ainda come aquele pão da padaria preferida… bem quentinho.
Isso porque não falei da melhor parte: cantar alto no chuveiro.
Ahhhh, como é boa a sensação de cantar alto no chuveiro!
Não sei vocês mas adoro fazer isso e vamos combinar… quando a gente não mora mais com a mãe/ou pai/ou os dois, a cantoria dá uma diminuída.
Às vezes se esvai por completo, como a voz da Ariel… sufocada no fundo do oceano.
Mas vale ressaltar que “essa magia” da casa da mãe/ou pai/ou os dois, só é percebida nos seguintes casos:
Primeiro: se você não mora mais com sua mãe/ou pai/ou os dois há um bom tempo.
Segundo: se você tem um bom relacionamento com ela/ou ele ou os dois (o mais importante).
Terceiro: quando você sabe que pode sair a hora que quiser.
Então cá estou eu… aproveitando o melhor dos dois lados: da saudade da casa do namorado e da delícia da casa da minha mãe (sim, só mãe).
E vou me ajeitando e pensando no dia que voltarei pra casa do namorado. Se é que voltarei.
Sei que dormir junto é ótimo. afinal estou a quase 4 anos nessa rotina.
Mas quer saber? Namorar é bom demais! Tô gostando disso.
De qualquer forma, se por acaso você está na casa de sua mãe/ou pai/ou os dois, aproveite.
E se você não está e acha que nunca mais voltará… fique sabendo que um dia você volta.
Nem que seja de passagem.
E se for pra ficar… boa estadia. Não fique triste!
Um dia tudo se ajeita.
E pensando bem, você está na vantagem… pois pode cantar alto no chuveiro.

Update¹: antes que alguém pense que estou solteira… a resposta é não. Ainda bem. ♥
Update²: voltei pra casa do namorado. Não aguentei! Hahaha!

***

Anúncios

Gostou? Dê o seu pitaco!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s