Dos que amo: destinos fabulosos

O que dizer da vida?
Às vezes uma tragédia… noutras um filme. No meu caso, o preferido.
Posso afirmar com voz aguda que minha passagem na terra tem sido uma caixinha misteriosa, como aquela que Amélie Poulain acha sem querer  ao futucar o azulejo de seu banheiro.

Tudo acontece comigo numa intensidade absurda e por incrível que pareça, sempre fugindo do que planejo. Ao mesmo tempo que me frustro por não conseguir acertar os dardos no alvo, me surpreendo com os acasos e novos planos que nascem especialmente pra mim, do jeito que eu queria e nem sabia! Parece confuso né?
Imagina minha cara diante tais situações!

Há um tempo atrás a tristezinha vivia batendo em minha porta e eu abria. Cheguei a querer desistir de tudo. Deitava na cama e pronto: torcia pra que as coisas acontecessem. Decorei o teto branco.
Tensa com o TCC e “p” da vida com o relógio apressado! Tic, tac, tic.
Mas ele não tem culpa né… o tempo não para! Pelo menos é o que musicaram.

Até que o fabuloso acontece! A UFF entra em greve… recebo propostas irrecusáveis! Um novo “trabalho” surge timidamente e o agarro com força. Tudo começa a acontecer fora da cama… simples assim. Quando a ficha caiu, percebi que só precisava DESLIGAR. Isso mesmo! Pegar o controle remoto da mente e PLUFT, desligar!

Meu cotidiano começa a ser exibido em outro canal, cuja dança  é o foco. Conheço outros ritmos e exploro novas possibilidades: agora não faço apenas aulas de ballet clássico e jazz, mas também de afro/folclore, dança de rua, dança moderna e contemporânea além de teatro! De segunda à sexta: só amor!
E mais amoroso que isso é ser recebida em casa com beijinhos e carinhos.

Se continuou lendo… percebeu que o post de hoje é tipo um diarinho. Precisava escrever sobre as pedras preciosas que tem aparecido no meu chão, apesar de não discorrer sobre todas.
Aliás, isso é algo que aprendi com o tempo: guardar segredos.
Continuando…
Quando o cenário muda, estar preparado é essencial! E quando acontece… perceberá que as coisas tristes ficarão para trás sozinhas… sem precisar forçar a barra. Os monstros que te perseguiam (amizades desfeitas, frustrações, etc.) passam a ser imaginários e tão bobocas que chega a ser engraçado!

Tô mais leve. Não só porque emagreci (futilidades à parte…) mas porque comecei a fazer parte de um céu cheio de nuvens coloridas e fofas. Pena que se desfazem quando pisco o olho.
Por isso, as fotografo, antes que sumam na imensidão azul.
Mas se somem, sei que outras ainda me farão sorrir.
Taí algo que pensei agora: amigos nuvens! Esses sim são encantadores! Já tenho alguns no meu jardim secreto. Inclusive uma nuvenzinha cheia de pajaritos que ainda não vi de perto, mas tenho certeza de que é bela e pura!

Tô vivendo sem máscaras. Se não quero, não quero, se gosto, gosto, se preciso escrever/desabafar o faço. A Jhê que choramingava pelos cantos se cansou e começou a colar os pedacinhos que se perderam por aí. Ainda bem que estavam pertinho! Ah! Estou sempre pronta pr’um café bem forte! Alguém me convida? <3

 Risquei do meu caderninho aqueles que não mereciam meus traços. Recebo com um sorriso sincero quem combina com meus desenhos.

Os pequenos prazeres são os maiores. O meu é dançar… entretanto adoro observar e tocar em grãos.
Principalmente no grão do amor. Tão barato e tão raro.

E continuarei escrevendo minha história no vidro… pra que possa mudar sempre! As que não quero nem pretendo esquecer, ficam gravadas em pedrinhas límpidas, dentro da caixa da memória.

Oh a vida… se não fossem suas caixinhas de surpresas…

E você? Onde guarda seus miúdos?

____________________

Pra terminar o post uma música especial pra mim.

 _________________________

Imagens:
Google

Edição de imagens:
Jhê Delacroix

Texto:
Jhê Delacroix

_________________

E aí curtiram? Alguém tem alguma dúvida/sugestão pro post? Então comentem galera! Escrevo com muito carinho e adoraria saber o pitaco de vocês!

Ps: eu sempre respondo os comentários ok? Sempre! ;*

Anúncios

10 comentários sobre “Dos que amo: destinos fabulosos

  1. Que gracinha de post, amora! Eu quase achei que eu era a Amélie, até ler sobre a nuvem de pajaritos!
    Continue assim, linda leve e solta!

  2. *_* ah! mil vezes ah!!! muito lindo a idéia de contar sua história com cenas de Amelie. ;)
    AMo a parte em que Ela abre a porta e o Nino está lá! é muito lindo. engraçado que vi esse filme ontem pela vigéssima vez. bjinho

    • Esse filme é um amor! Eterno amor! Se eu tiver uma filha, certamente o nome será Amélie! <3 Merci pelo comentário!

  3. Oi sua linda! amei teu blog, amei quem vc é, e me identifiquei mt com a sua (e minha! rs) paixão: Ballet. queria mt saber mais sobre vc e vc sobre mim, ia adorar ter uma amiga para dividir as mesmas coisas, desde já, foi um prazer me te conhecer, bjs!

Gostou? Dê o seu pitaco!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s