Cinema CCBB Rio e uma boa dose de inspirações francesas.

Olá pessoas! Hoje inauguro a tag ‘Por aí’ com uma dica interessante, bacana  e barata pra quem mora no Rio de Janeiro (ou perto)!
Acho que  o CCBB/RJ (Centro Cultural Banco do Brasil) dispensa apresentações, visto que muita gente o conhece/tirou foto/ficou sabendo de algum evento por lá, etc.; mas… tá valendo um bate bola rápido e dinâmico!

“O CCBB/RJ é um prédio de linhas neoclássicas que, no passado, esteve ligado às finanças e aos negócios. (…) No final da década de 80 (…) o Banco do Brasil decidiu pela sua preservação ao transformá-lo em um centro cultural. (…) Inaugurado em 12 de outubro de 1989, transformou-se em polo multimídia e fórum de debates. Com 17 mil metros quadrados, o CCBB RJ integra muitos espaços num só, onde a arte está permanentemente em cartaz“.

Desde então o CCBB Rio nos presenteia mensalmente. Seja com artes plásticas, teatro, cinema e vídeo, música,  workshops e oficinas. E pra quem fica feliz só de pensar na França, assim como os costumes e características dos franceses, esse  mês é um prato cheio pra se esbaldar!

Do dia 17 a 22 de janeiro de 2012 o grande tema do CCBB foi  ‘A mulher francesa’.  Organizado pela Cinemateca da Embaixada da França no Brasil (e seus acervos), foram exibidas amostras de filmes franceses (dos clássicos aos recentes) cuja referência são as grandes personalidades francesas femininas! Que lindo! Que lindo!


Foto retirada do facebook do CCBB/RJ

UPDATE: Como estou recuperando os posts do blog, e as datas de exibição desses filmes já passou a tempos, decidi fazer diferente. Em vez de deixar as datas de exibição desses filmes, deletei e fiz uma espécie de “fica a dica” dos filmes franceses que passaram no CCBB! Daí, quem gosta pode anotar e assistir (alugando ou sei lá, baixando) os filmes, ok? (:

Sinopses:

PEGANDO FOGO:


Ça Brûle (França, 2006).

De Claire Simon. Com Camille Varenne, Gilbert Melki. Duração 111’.

24 de junho, logo chegarão as férias e o verão. Os adolescentes de um vilarejo da França, em busca de sensualidade, experimentam o desejo. Mais solitária, Lívia, uma jovem amazona de 15 anos, prefere ser transportada, levada, consolada por seu cavalo. Mas quando o bombeiro Jean Susini a levanta de uma queda feia, ela se apaixona por ele. Ao longo das horas, a adolescente se põe a seguir com paixão ardente esse homem mais velho. O desejo a devora, a faz subir um a um os degraus da exaltação, a consome, até o irreparável…

Classificação: 14 anos

_____________________

XEQUE-MATE:

Joueuse (França, 2008).

De Caroline Bottaro. Com Sandrine Bonnaire, Kevin Kline, Valérie
Lagrange. Duração 100’.

Num vilarejo da Córsega, a vida de Hélène, moça apagada e discreta,
é feita de dias que se seguem e parecem iguais… Ela trabalha como faxineira num hotel e é aparentemente feliz com o marido, Ange, e sua filha de quinze anos, Lisa. Sua vida modesta e monótona parece não ter chance de mudar. Entretanto, tudo muda no dia em que ela fica fascinada ao surpreender um jovem casal muito sedutor de americanos que jogam xadrez na varanda de seu quarto de hotel. No início intrigada e depois apaixonada por este jogo, Hélène mobiliza todos os recursos com obstinação para dominar as regras do xadrez até a perfeição.

Classificação: 12 anos

_______________________

 HIROSHIMA MEU AMOR: 


Hiroshima mon amour (França/Japão, 1959).

De Alain Resnais. Com Emmanuelle Riva, Bernard Fresson, Eiji Okada. Duração 90’.

Participando de um filme sobre a paz em Hiroshima nos anos 50, atriz francesa passa a noite com um arquiteto japonês às margens do Rio Oda. Tudo isso traz lembranças de sua juventude na cidade de Nevers durante a Segunda Guerra Mundial, período no qual foi perseguida, quando se apaixonou por um soldado alemão.

Classificação: 14 anos

______________________

A PEQUENA LILLI: 


La Petite Lili (França/Canadá, 2003).

De Claude Miller. Com Nicole Garcia, Jean-Pierre Marielle, Ludivine Sagnier. Duração 100’.

Mado, atriz famosa, passa as férias de verão em sua propriedade da Bretanha na companhia de seu irmão Simon, de seu filho Julien, que quer ser cineasta, e de Brice, seu amante do momento, diretor de seus últimos filmes. Julien está completamente apaixonado por Lili, uma jovem da região que deseja ser atriz. Lili tem carinho por Julien, mas é fascinada por Brice, que parece também atraído pela jovem. Lili propõe a ele que deixem tudo para trás e que a leve para Paris. Cinco anos mais tarde, Lili, é atriz famosa e não está mais com Brice. Ela fica sabendo, por acaso, que Julien vai dirigir seu primeiro filme, que fala dela…

Classificação: 16 anos.

_______________________

A CABEÇA DE MAMÃE:


La Tête de maman (França, 2005).

De Carine Tardieu. Com Kad Merad, Karin Viard, Pascal Elbé. Duração 95’.

A jovem Lulu vive com sua depressiva, meio hipocondríaca e auto-centrada mãe. Um dia, Lulu encontra uma fotografia antiga que traz sua mãe, aos 20 anos de idade, nos braços de um homem estranho, feliz e radiante como ela jamais a vira. Lulu decide encontrá-lo e trazê-lo de volta, na esperança de que sua mãe recupere o gosto pela vida.

Classificação livre

________________________

O CAVALEIRO DO TELHADO E A DAMA DAS SOMBRAS: 

Le Hussard sur le toit (França, 1995).

De Jean-Paul Rappeneau. Com François Cluzet, Juliette Binoche, Oliver Martinez. Duração 120’.

Durante una epidemia de cólera que assola a França do século XIX, Ángelo, um jovem italiano desertor do exército francês, tenta retornar para seu país. Durante a fuga, ele conhece Pauline, uma aristocrata que sofre com a ausência do marido. Uma inesperada paixão surge entre o casal.

* Vencedor do César de Melhor Fotografia e Melhor Som *

Classificação: 14 anos

__________________________

O PAPEL DA SUA VIDA: 

Le Rôle de sa vie (França, 2004).

De François Favrat. Com Agnès Jaoui, Karin Viard. Duração 100’.

Free-lancer de um jornal de moda, Claire Rocher conhece Elisabet Becker, uma estrela do cinema. Tudo nelas é diferente: seu modo de ser, seus relacionamentos com os homens, e claro, o quanto têm de dinheiro e fama. Claire fica encarregada de ser a assistente pessoal de Elisabeth, e a partir daí sua vida vai mudar. Pouco a pouco as duas mulheres vão se tornando amigas. Bem, pelo menos assim Claire imagina…

Classificação livre

_______________________

OS AMANTES: 


Les Amants (França, 1958).

De Louis Malle. Com Jeanne Moreau, Jean-Marc Bory. Duração 87’.

Jeanne, casada com Henri, homem autoritário e cáustico, se entedia no campo onde mora o casal. Durante as freqüentes estadas em Paris na casa de sua amiga Maggy, cuja vida mundana a fascina, ela conhece Raoul, que vira seu amante. Henri, querendo conhecer os amigos da mulher, convida Maggy e Raoul. No dia da recepção, voltando de Paris, o carro de Jeanne enguiça e um desconhecido, Bernard, se oferece para levá-la em casa. Ele é convidado para ficar e pernoitar. Tarde da noite, Jeanne e Bernard se encontram nos jardins e se amam loucamente. Quando amanhece, Jeanne está resolvida a ficar com Bernard, abandonando marido, filho e amante.

Classificação: 16 anos

__________________________

MÁ FÉ: 

Mauvaise Foi (França, 2006).

De Roschdy Zem. Com Cécile de France, Pascal Elbé, Roschdy Zem. Duração 88’.

Clara, judia, e Ismael, muçulmano, são um casal feliz até o dia em que ela engravida. A relação do casal passará, então, por duras provas e terá de achar seu caminho entre o peso das tradições, os reflexos identitários e outras pressões familiares.

Classificação: 12 anos

_________________________

MURIEL: 


Muriel ou Le Temps d’un retour (França/Itália, 1963).

De Alain Resnais. Com Delphine Seyrig, Françoise Bertin, Jean Dasté. Duração 115’.

Uma jovem viúva, dona de um antiquário, sonha em rever sua grande paixão adolescente, sem saber que ele se tornou um homem medíocre. Já seu genro tem suas lembranças dominadas pelo espírito de Muriel, uma moça torturada na Argélia.

Classificação: 14 anos

________________________

SEM TETO, NEM LEI:

Sans toit ni loi (França, 1985).

De Agnès Varda. Com Macha Meril, Sandrine Bonnaire, Stéphane Freiss, Yolande Moreau. Duração 105’.

Uma jovem andarilha morre de frio: apenas mais uma notinha de jornal. Teria sido morte natural? Seria um caso policial ou social? O que poderíamos saber dela e como reagiriam aqueles que cruzaram seu caminho? A câmera se cola a Mona, perscrutando sua errância, uma errância obrigada, pois as portas se fecham para ela. Ela vaga, arma sua tenda, dorme com um, não dorme com outro… Retoma a estrada, pára, parte novamente: breves encontros, desesperança, vinho, solidão, frio. Ela cai num fosso, estremece, choraminga… vem a noite e a manhã é gélida.

* Leão de Ouro no Festival de Veneza 1985; César de Melhor Atriz a Sandrine Bonnaire.

Classificação: 14 anos

_______________________

VOCÊ E EU:

Toi et moi (França, 2006).

De Julie Lopez-Corval. Com Chantal Lauby, Eric Berger, Julie Depardieu, Marion Cotillard. Duração 90’.

Redatora de foto-novela para a revista “Você e Eu”, Ariane tende a escrever sua vida amorosa e a de sua irmã Lena, reinventando-as um pouco. No entanto, suas vidas não tem nada de novela: Ariane fica presa a Farid, que não se interessa por ela, e Lena está entediada com seu namorado, François. Mas e se Ariane se entregasse ao amor de Pablo, o belo operário que trabalha no prédio? E se Lena se apaixonasse por Mark, o violinista prodígio que acaba de conhecer? Entre realidade e foto-novela, as duas irmãs encontrarão por fim o grande amor?

Classificação livre

______________________

UMA MULHER É UMA MULHER: 

Une femme est une femme (França, 1961)
(Gente, tenho que comentar: que cabelo bapho é esse? *o*)

De Jean-Luc Godard. Com Anna Karina, Jean Paul Belmondo. Duração 85’.

Ângela é uma stripper que deseja ter um filho com seu marido, Émile, que por sua vez não o quer. Ela então tenta consegui-lo com Alfred, um homem da noite amigo do casal, que atende seu desejo. O que Angela não sabe é que o novo candidato a pai sempre foi apaixonado por ela e, com esse convite, uma série de confusões será desencadeada. Sentindo que caiu numa armadilha, ele diz: ‘Ângela, você é infame’. ‘Não’, diz ela, ‘eu sou uma mulher’.

Classificação: 16 anos

_______________________

E aí? Gostaram? Sempre que puderem, deem uma olhada no site do CCBB, pois programinhas culturais são sempre uma boa idéia! Adoro! (:

Pra quem não sabe como chegar ao CCBB/Rio:

Rua Primeiro de Março, 66 – Centro
20010-000 / Rio de Janeiro (RJ)
(21) 3808-2020
ccbbrio@bb.com.br

Funcionamento: De terça a domingo, das 10h às 21h.

Pronto né? Já dei a dica! Agora… aproveitem e assistam os filmes! (:

Visite:

CCBB

Referências/Imagens:

Site do CCBB/RJ
Facebook CCBB/RJ

Texto:

Jhê Delacroix (Moi)

E aí curtiram? Alguém tem alguma dúvida/sugestão pro post? Então comentem galera! Escrevo com muito carinho e adoraria saber o pitaco de vocês!
Ps: eu sempre respondo os comentários okie? Sempre!  ;*

X

Anúncios

2 comentários sobre “Cinema CCBB Rio e uma boa dose de inspirações francesas.

  1. Adorei o blog, e as dicas. Pena que não moro no Rio de Janeiro! :( Eu quero ganhar o livrooooo, estou participando da promoção, já sigo a Mirna no twitter, ela é uma fofa mesmo. Beijinn.

Gostou? Dê o seu pitaco!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s